Halloween ou Reformationstag



Conta que esta tradição, HALLOWEEN, onde crianças neste dia saem pela vizinhança batendo de porta em porta anunciando “doces ou travessuras”, nasceu na Irlanda. Conta a lenda que um homem conduzia uma procissão para angariar oferendas de agricultores, a fim de que suas colheitas não fossem amaldiçoadas por demônios. Uma espécie de chantagem, que daí deu origem a o “doces ou travessuras”, ou em inglês, “Trick or Treat”.

Acreditava-se na cultura celta que para se apaziguar espíritos malignos, era necessário deixar comida para eles. Essa prática foi transformada com o tempo e os mendigos passaram a pedir comida em troca de orações por quaisquer membros mortos da família. (Pois antigamente acreditavam fielmente no jargão “Aos pobres pertence o Rei dos Céus”, e era uma prática comum pagar para os mendigos carregarem o caixão do defunto, pedir para eles rezarem para o morto, e também fazer doações para eles. Era importante dar dinheiro sempre que os mendigos pedissem, e nunca pedir troco de volta).

A lenda hoje está sendo divulgada principalmente em países de língua inglesa, e é claro, nos últimos anos no Brasil.

O que mais me impressiona é que a referida festa legitima as crianças se não forem atendidas em seu pedido de “doces”, a brincadeira nas “travessuras” poderem por exemplo bombardear a casa com ovos, papel higiênico: geralmente são colocados em telhados de casas ou jogados em cima de árvores e carros na rua, farinha, colocam fita na campainha para ficar tocando repetidamente… (essa é a travessura) acho que ninguém nunca pensou nisso, não é?

Assim, a referida festa tem pontos importantíssimos que afetam diretamente a nossa fé cristã: incentivam nossos filhos a crer que os espíritos podem ser apaziguados com oferendas, que os espíritos não são tão “maus” que podemos até brincar com eles,  e o mais importante, a rebeldia, na medida que os doces não são dados, pois a criança pode se rebelar com a pecha de “travessuras”.

Na minha concepção, pais cristãos que permitem que seus filhos participam deste tipo de manifestação estão dando “legalidade” espiritual para que seus filhos se distanciem cada dia mais da Palavra de Deus.

Se por um lado temos a dita “Festa do Halloween”, por outro nós temos a “REFORMATIONSTAG” ou o “DIA DA REFORMA RELIGIOSA”.

Em 31 de Outubro de 1517, o monge Martin Lutero, na véspera de Todos os Santos, na porta da igreja do castelo em Wittenberg, fez 95 teses em latim referidas as indulgencias e penitencias contra os desmandos da Igreja Católica.

Quem conhece a Bíblia e a História da Igreja, está convicto que a volta de Cristo é certa, e estamos muito próximos do arrebatamento.

O Diabo está rugindo como Leão e tentando tragar a todos, e não podemos menosprezar que nossos filhos são o alvo principal, afinal, eles são a Igreja do Hoje.

É certo que o inferno não prosperará sob a Igreja de Cristo, mas estamos em guerra constantemente, e precisamos fechar as brechas.

Paulo recomenda em Efésios 4:27: “Não dê lugar ao diabo” e mais para frente o apóstolo exorta que “não entristeçais o Espírito Santo de Deus”.

O que entristece o Espírito Santo de Deus? O pecado.

No transcorrer deste Capítulo 4, Paulo demonstra que tudo que fazíamos, não façamos mais, para seguirmos o exemplo de Cristo.

E qual foi o exemplo que Cristo nos deixou?

Para com Satanás Jesus disse em Mateus 4:10: “Para trás, Satanás”.

Dia 31 de Outubro está chegando, você tem o livre arbítrio em escolher que “Festa” você vai comemorar: HALLOWEEN ou REFORMATIONSTAG.

Se no HALLOWEEN você invoca espíritos, entrega oferendas em forma de doces e incentiva a rebelião, no REFORMATIONSTAG você medita a sua total e única dependência a Deus.

A oração máxima de Martinho Lutero, às vésperas de ser excluído na comunhão, foi: “Oh! Deus todo-poderoso! A carne é fraca, o Diabo é forte! Ah! Deus, meu Deus, que perto de mim estejas contra a razão e a sabedoria do mundo! Fá-lo, pois somente tu o podes fazer. Não é a minha causa, mas sim a tua. – Que tenho eu com os grandes da terra? É a tua causa, Senhor, a tua justa e eterna causa. Salva-me, oh! Deus fiel! Somente em ti confio, oh! Deus! meu Deus… vem, estou pronto a dar, como um cordeiro, a minha vida. O mundo não conseguirá prender a minha consciência, ainda que esteja cheio de demônios, e, se o meu corpo tem de ser destruído, a minha alma te pertence, e estará contigo eternamente…”

Que Deus nos guarde e nos abençoe ricamente, e que nossos filhos possam ser protegidos destas IDEOLOGIAS camufladas de “Festas”.

Que Deus abra a visão de toda a Igreja brasileira, que possamos ser autênticos na nossa fé, a fé genuína, sem o levedo do mundo, e que possamos transformar o Brasil através da renovação da nossa mente em Cristo Jesus.

Que assim seja!

Por Patrícia Regina Alonso, mãe, advogada há 20 anos, teóloga, musicista formada pelo Conservatório Musical Ernesto Nazareth. Foi capelã do Hospital das Clínicas de São Paulo. É membro da ADVEC. Escritora do Livro “Alienação Parental o Lado obscuro da Justiça Brasileira” e colaborou no livro “A invisibilidade de crianças e mulheres vítimas da perversidade da Lei da Alienação Parental”.

* O conteúdo do texto acima é de colaboração voluntária, seu teor é de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.





Source link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *