Policial compra todos os bolos que venezuelano vendia e diz que se espelha em Cristo



Um venezuelano que vende bolos em São José, na Grande Florianópolis, foi surpreendido por uma abordagem policial inusitada. Para ajudá-los, o PM decidiu comprar todos os potes de bolo e a cena, que foi registrada, viralizou nas redes sociais.

No sábado, 7 de dezembro, Rodnney Gonzales estava vendendo bolos com as filhas quando foi abordado pelo soldado da Polícia Militar Gustavo Rangel. De acordo com a página Floripa Mil Grau, o venezuelano costuma vender os bolos sempre no mesmo local.

“Eu estava realizando um policiamento fixo e observei que o cara com as crianças estava lá num sábado ensolarado, vendendo seu bolo. O pátio estava deserto. Me veio à mente que por estar deserto, ia demorar um pouco para ele vender tudo e ir para casa descansar com as crianças. Então resolvi comprar todos os bolos”, disse Rangel à reportagem da TV Globo.

“Aí eu perguntei do bolo, ele disse que era sabor de chocolate. Perguntei o preço também, era R$ 5. Perguntou para mim quantos que eu ia levar. Eu disse: ‘vou levar todos’. Aí eles ficaram surpresos, as crianças ficaram admiradas e foi muito legal ter visto o sorriso delas ali vendo eu comprando todos os bolos”, acrescentou o policial.

O policial, no entanto, não quis dar o crédito de sua ação generosa para si mesmo, mas destacou que foi inspirado por Jesus.

“Fazer o que eu fiz, eu acredito que não mereço nenhum crédito e não mereço nenhuma recompensa. Eu quero até dar um recado para todas as pessoas: cada uma delas são pessoas maravilhosas e especiais. Se elas entregarem o coração para Cristo, e ter Ele em suas vidas, elas podem fazer coisas muito maiores do que eu já fiz”, disse Gustavo.

Rodnney, os três filhos e a esposa deixaram Caracas em setembro de 2018, por causa da crise que assola a Venezuela. Depois de tentar a vida em Boa Vista (RR), onde tiveram que viver na rua, a família desembarcou em Florianópolis em janeiro deste ano. 

“Tinha que vender as coisas da casa, a televisão, geladeira, para completar e comprar o remédio ou completar e comprar comida. Viemos para cá. Não sabíamos o que era Santa Catarina. Foi coisa de Deus, do destino”, disse Rodnney.

Com dificuldade de encontrar emprego, Rodnney passou a buscar sustento com a venda dos bolos. Com uma renda de pouco mais de R$ 1,2 mil por mês, ele consegue pagar o aluguel, mas precisa contar com doações.

Na ocasião, o policial “ainda deu o dinheiro que faltava para que o senhor pagasse o aluguel”, relata a página Floripa Mil Grau. Rodnney continua enviando currículos, mas já ganhou um curso completo de confeitaria com a repercussão das imagens.

“Sei que é preciso lutar, mas também acredito que Deus me dará este emprego e saberá quando for a hora certa de eu tê-lo”, afirmou Rodnney.





Source link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *